Doenças causam lesões nas estruturas dos tendões, músculos e ligamentos

Em alusão ao Dia Mundial de Prevenção às LER/DORT, comemorado no dia 28 de fevereiro, a Policlínica Estadual da Região do São Patrício – Goianésia realizou uma palestra sobre o tema. “A sigla LER compreende um conjunto de doenças causadas pela realização de atividades contínuas e repetitivas. DORT, por sua vez, é uma sigla para um conjunto de doenças causadas por movimentos repetitivos durante a execução de um trabalho. Ambos os problemas levam a lesões nas estruturas dos tendões, músculos e ligamentos”, explicou a fisioterapeuta Rosely Sathler.

A LER e DORT são doenças reconhecidas por meio de ocorrência de vários sintomas, de aparecimento quase sempre em estágio avançado, com lesões geralmente nos membros superiores, acarretando dor, sensação de peso e fadiga. Algumas dessas acometem os trabalhadores com lesões no ombro e inflamação em articulações e nos tecidos que cobrem os tendões. Em muitas situações ocorre degeneração de tecidos, atingindo inclusive os membros superiores, região escapular e pescoço.

“Na grande maioria das vezes, essas doenças estão relacionadas ao trabalho e afetam diretamente a qualidade de vida da pessoa, além de prejudicar a sua produtividade laboral e o seu comprometimento profissional e financeiro. E, geralmente, são responsáveis pela maior parte dos afastamentos ao trabalho e representam custos com pagamentos de indenizações, tratamentos e processos de reintegração à ocupação”, destaca a fisioterapeuta

Rosely afirma que para evitar  casos avançados da doença uma intervenção multi ou interdisciplinar é fundamental para a gestão de programas de prevenção de LER/DORT.  “Em casos de afastamento por LER/DORT o retorno seguro e o mais precoce possível ao trabalho exige a identificação dos problemas surgidos e a existência de condições favoráveis de negociação entre a equipe de saúde e os setores da empresa envolvidos, para garantir condições adequadas para os trabalhadores doentes. A equipe de saúde deve avaliar cada caso atendido e definir a conduta e/ou plano terapêutico individual correspondente”, concluiu.

Ajustar fonte