Doença afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer ossos, rins e meninges

Na manhã desta quinta-feira, 24, a farmacêutica Michelle Ramos realizou uma palestra na Policlínica Estadual da Região do São Patrício – Goianésia em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, proposto pela Organização Mundial de Saúde para conscientizar a população sobre a doença. A tuberculose é uma doença infectocontagiosa ocasionada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, que afeta principalmente os pulmões, o que pode se tornar uma enfermidade grave se não tratada.

A transmissão da tuberculose ocorre de pessoa a pessoa, por meio da tosse, fala e espirro. De acordo com Michelle, a prevenção se dá por meio da vacina BCG, que protege de níveis mais graves da doença. “A melhor forma de prevenir a transmissão é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível. Os sintomas podem ser, tosse seca, que evolui para tosse carregada com secreção purulenta amarela-esverdeada, fraqueza, falta de apetite, dores no corpo, febre e suor principalmente no fim da tarde a noite, em casos mais grave, tosse com secreção com sangue e falta de ar”, explicou

Segundo a farmacêutica, o diagnóstico pode ser realizado pelo exame de escarro ou raio x. “O tratamento é realizado na rede do SUS, com uso de antibiótico, sendo ofertado na atenção básica de qualquer município. Com 15 dias após iniciado o tratamento, a pessoa já não transmite mais a doença. O tratamento deve ser feito por um período mínimo de 6 meses, diariamente e sem nenhuma interrupção. O tratamento só termina quando o médico confirmar a cura total do paciente”, finalizou.

Ajustar fonte